Natureza e Realização do Caminho Neocatecumenal
Conforme aprovado pela Santa Sé, o Estatuto do Caminho Neocatecumenal prevê o seguinte no seu Artigo 1º:

  1.  A natureza do Caminho Neocatecumenal é definida por S.S. João Paulo II, quando escreve:
    “Reconheço o Caminho Neocatecumenal como um itinerário de formação católica, válida para a sociedade e para os tempos de hoje”.
  2. O Caminho Neocatecumenal está a serviço do Bispo como uma das modalidades de realização diocesana da iniciação cristã e da educação permanente à fé.
  3. O Caminho Neocatecumenal, dotado de personalidade jurídica pública, consta de um conjunto de bens espirituais:
    1. o “Neocatecumenato”, ou catecumenato pós-batismal;
    2. a educação permanente à fé;
    3. o catecumenato;
    4. o serviço da catequese.

História do Caminho Neocatecumenal
Na Igreja primitiva, quando o mundo era pagão, quem desejava ser cristão devia iniciar um itinerário de formação e de preparação ao Baptismo, chamado “catecumenato”. Hoje o processo de secularização tem levado muita gente a abandonar a fé e a Igreja. Por isso, é necessário um novo itinerário de formação cristã.

O Caminho Neocatecumenal começou por obra de Kiko Argüello e Carmen Hernández, na década de 1960, em Palomeras Altas, uma das favelas mais pobres de Madrid. Nessa época, o Caminho foi confirmado e apoiado pelo então Arcebispo de Madrid, Mons. Casimiro Morcillo, ao constatar, ali, uma verdadeira redescoberta da Palavra de Deus e a concretização da renovação litúrgica então proposta pelo Concílio Vaticano II.
Em 1974, com base na experiência positiva de Madrid, a Congregação para o Culto Divino adotou o nome de Caminho Neocatecumenal para essa nova experiência de iniciação cristã.

Trata-se de um caminho de conversão em que é possível redescobrir as riquezas do Batismo e viver seriamente à luz do Evangelho. O Caminho Neocatecumenal é, assim, um instrumento das paróquias ao serviço dos Bispos, para iniciar, renovar e amadurecer na fé, todas as pessoas que assim o desejarem.
Em cinco décadas, o Caminho difundiu-se por mais de 900 dioceses e 105 nações, com mais de 20 mil comunidades espalhadas em 6.000 paróquias.
Em 1987, abriu-se em Roma o seminário missionário internacional Redemptoris Mater, que forma jovens cuja vocação sacerdotal missionária vai amadurecendo no seio de uma comunidade neocatecumenal e que estão dispostos a partir em missão para qualquer parte do mundo. Mais tarde, outros Bispos acolheram a experiência de Roma. Hoje, existem mais de 100 seminários diocesanos Redemptoris Mater, espalhados por todos os continentes, onde estão a ser formados cerca de dois mil seminaristas.

Adicionalmente, em resposta ao convite do Papa S. João Paulo II para uma Nova Evangelização, muitas famílias do Caminho têm-se oferecido para ajudar a realizar a Missão da Igreja. Essas famílias doam as suas vidas para irem viver em regiões secularizadas e descristianizadas do mundo inteiro, ajudando a renovar as paróquias ou a preparar a fundação de novas.

Porque se chama Neocatecumenal?
Na exortação apostólica Catechesi Tradendæ (1979), sobre a catequese, o Papa S. João Paulo II afirmou que a situação de muitos cristãos nas paróquias é de “quase catecúmenos”.

Posteriormente, em 1990, na sua carta “Ogniqualvolta” escreveu que “reconheço o Caminho Neocatecumenal como um itinerário de formação católica, válido para a sociedade e para os tempos de hoje” e expressou o seu desejo de que os Bispos “valorizem e ajudem – juntamente com seus presbíteros – esta obra para a nova evangelização, para que ela se realize de acordo com as linhas propostas pelos iniciadores”.

Kiko e Papa
Papa S. João Paulo II com os Iniciadores do Caminho Neocatecumenal: Kiko Argüello, Pe. Mario Pezzi e Carmen Hernández (da esquerda para a direita)

Desta forma, o Caminho Neocatecumenal é fundamentalmente para quem, já sendo batizado, pretenda aprofundar as raízes da sua fé cristã, descobrir o valor e a riqueza do seu Batismo, bem como o amor de Deus na história da sua vida.

O Caminho e os Não-Batizados
Na realidade da Paróquia, o Caminho Neocatecumenal constitui igualmente uma verdadeira Iniciação Cristã para adultos não Batizados que desejem fazer um caminho com vista à Fé Cristã e aos sacramentos de iniciação cristã: Batismo, Confirmação e Eucaristia.

Caminho Neocatecumenal na Paróquia de S. Pedro e S. João do Estoril
O Caminho Neocatecumenal teve início na Paróquia de S. Pedro e S. João do Estoril em 2013, tendo sido pedido pelo Pe. Paulo Figueira.
Desde então, têm sido feitas as catequeses iniciais todos os anos, bem como Missões nas ruas e praças, sendo que existe atualmente uma Comunidade Neocatecumenal na Paróquia, presidida pelo Pároco.

neocatecumenais

LA25113g